Bacia Lusitânica ou Bacia Lusitaniana ?

Abstract

Inúmeras denominações têm servido na língua portuguesa, desde há mais de sessenta anos, para designar a bacia sedimentar de tipo atlântico, formada entre o Triásico Superior e o final do Cretácico Inferior, localizada na parte central da margem ocidental ibérica e associada aos episódios iniciais de fragmentação da Pangea, que levaram à abertura do Atlântico Norte; nos últimos anos elas resumem-se a apenas duas – Bacia Lusitânica ou Bacia Lusitaniana. O presente texto defende esta segunda posição com base em razões de natureza estritamente geológica/estratigráfica; apesar de Paul Choffat não ter definido a etimologia do termo Lusitaniano, entendemos que este andar está claramente ligado à existência, na Bacia, de unidades estratigráficas desta idade. É demonstrado que o adjectivo “lusitaniano” não é um estrangeirismo nem se trata de uma tradução errada de termos quer da língua inglesa quer da francesa. É discutida de forma aprofundada a origem dos Lusitanos e da Lusitânia, dos pontos de vista linguístico, etnográfico, histórico e geográfico para mostrar como é desadequada a utilização da designação “Bacia Lusitânica” (ou mesmo “Lusitana”); por outro lado julgamos demonstrar a justeza da designação de “Bacia Lusitaniana”, claramente ligada à existência do “andar Lusitaniano” na Bacia.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biography

José Carlos Kullberg, Univ. NOVA Lisboa, Faculty of Sciences & Technology and GeoBioTec
Associate Professor Head of Department
Published
2017-11-13
How to Cite
ROCHA, R. B.; KULLBERG, José Carlos. Bacia Lusitânica ou Bacia Lusitaniana ?. Ciências da Terra / Earth Sciences Journal, [S.l.], v. 19, n. 1, p. 149-158, nov. 2017. ISSN 2183-4431. Available at: <http://cienciasdaterra.novaidfct.pt/index.php/ct-esj/article/view/362>. Date accessed: 18 dec. 2018. doi: https://doi.org/10.21695/cterra/esj.v19i1.362.